08 fevereiro 2006

Para Tribunal! Já!

Uma autêntica "guerra de comadres" a que se vive actualmente na comunicação social local, com uns a criticarem os outros e os outros a dizerem mal daqueles, tu cá, tu lá. E tão amigos que eles foram!...
Uma polémica que em nada abona para o concelho e que, a acreditar nas partes envolvidas, parece ter origem em situações verdadeiras. Parece que uns só dizem mal dos outros e os outros não querem ficar atrás, mas esquecem-se que, no fim disto tudo, quem paga somos nós, que queremos uma comunicação social isenta e temos de levar com partidarismos políticos exarcebados de um lado e de outro.
Parece que esqueceram o que é o respeito mútuo, já para não falar dos princípios básicos da boa educação e do bom, repito, do bom jornalismo, e já misturam informação com opinião, comentário com reportagem, à boa maneira das novelas mexicanas. E esquecem-se que, todos juntos podem fazer um futuro melhor (onde é que eu já ouvi isto?), podem defender melhor os interesses do concelho e dos seus munícipes, ao invés de olharem apenas para o seu umbigo.
Basta de politiquices sem vergonha. Esqueçam o partido que vos elegeu e abracem uma causa mais nobre. Se não conseguirem, então, o melhor é pegar cada qual nos seus artigos e debaterem opiniões e juízos de valor em Tribunal, até porque os últimos escritos praticamente a isso obrigam. Só não nos façam perder mais tempo.

5 comentários:

  1. NISSO TENS RAZAO BASTOS, JA CHEGA DE BRINCAR COM ESSA INSTITUICAO,BASTA

    ResponderEliminar
  2. ENTRE O TINOCO E O DÉCIO VENHA O DIABO E ESCOLHA. SINCERAMENTE NÃO SEI QUAL DELES ESTÁ A FAZER PIOR AO CONCELHO

    ResponderEliminar
  3. Maria João Cunha11 fevereiro, 2006 17:36

    Ao Sr. Eduardo Bastos

    É lamentável que as pessoas não tenham percepção da realidade de um concelho tão pequeno como o nosso.
    Convido-o a aplicar o tempo que passa a escrever este blogue, que meia dúzia de pessoas encontram ao acaso na net, a tentar perceber o que realmente se passa no seu concelho, nomeadamente a maneira como algumas instituções de interesse geral são dirigidas (ou melhor, não são dirigidas, essa é que é a questão!). Mas antes de analisar, certifique-se de que não se encontra ressabiado relativamente a alguns episódios do passado, pois tal poderia influenciar a conclusão a que chegaria!
    O objectivo da comunicação social (ou melhor, de parte da comunicação social deste concelho) é levar até aos leitores a verdade dos factos e não desencadear desentendimentos. Lamentável é que certas pessoas não admitam que não servem para nada, ou pelo menos para muito pouco, motivo suficiente para sairem de cena.
    Quanto ao senhor, permita-me que o aconselhe a tentar ter mais percepção do que o rodeia.

    ResponderEliminar
  4. Cara Maria João Cunha
    Antes de mais deixe-me dar-lhe as boas vindas a este blog, que certamente encontrou ao acaso. Em relação ao seu comentário, que respeito, não posso deixar de fazer algumas considerações.
    É, de facto, lamentável que algumas pessoas não tenham percepção da realidade do nosso concelho, pequeno ou grande, como o queiram considerar. É ainda mais lamentável quando, quem poderia ajudar a desenvolver essa percepção no cidadão comum, prefere o caminho fácil de realçar o que está bem e esquecer o que de mal vai sendo feito, mas enfim...
    Não sei o que entende por "intituições de interesse geral", mas para mim são todas aquelas que têm a ver com os interesses das pessoas e, no caso, das pessoas que residem ou trabalham em Paredes de Coura. Neste rol de instituições está, naturalmente, incluída a comunicação social do concelho, sem excepção, quer leve aos leitores a verdade dos factos, quer opte por não revelar essa verdade em prol de verdades (ou será vontades?) superiores. Não se preocupe com os episódios do passado que, mau grado o lhe possam ter dito, nunca foram por mim explorados, aqui ou noutro qualquer lugar. Certifique-se, contudo, como colaboradora da comunicação social do concelho que julgo ser, que tem a versão integral dos factos, para que não caia na asneira de tomar o falso pelo verdadeiro.
    Vou continuar a escrever aqui, neste blog, até porque se verificar nem ocupa grande tempo, mesmo que seja para a meia dúzia de pessoas que por aqui passa. Escrevo artigos de opinião, devidamente identificados ao contrário de outros que por aí se vêem. Quanto ao seu conselho, deixe estar, que depois de "alguns episódios do passado" vi-me obrigado, infelizmente, a ter mais e melhor percepção de quem me rodeia.

    Respeitosos cumprimentos

    Eduardo Bastos

    ResponderEliminar
  5. grande MARIA JOÃO CUNHA (SE FOI ELA QUE ESCREVEU ISTO)

    ResponderEliminar

Agora que leu, pode deixar aqui o seu comentário. Já agora, com moderação e boa educação! O Mais pelo Minho reserva-se o direito de não publicar comentários insultuosos. Quaisquer comentários inadequados deverão ser reportados para o email do blogue. Muito obrigado!