30 maio 2006

A estrada


Já começaram os trabalhos para a construção da variante que vai ligar Mantelães à vila, junto ao centro de saúde. Uma estrada que vai encurtar o percurso actual em… 500 metros! Leu bem, 500 metros!
Como se pode ver na imagem, o percurso actual, a amarelo, tem cerca de um quilómetro, enquanto que a nova estrada, assinalada a verde (já agora as minhas desculpas pela imprecisão do traço) vai ter aproximadamente 500 metros. Poupa-se tempo? Algum, é certo, mas não o suficiente. Aumenta-se a segurança? Acredito que sim porque aquelas curvas são um bocado traiçoeiras. Poupa-se dinheiro? Pois… está-se mesmo a ver.
Sinceramente não penso que a construção daquela nova estrada fosse uma prioridade para Paredes de Coura. É claro que tem as suas vantagens: possivelmente dará origem a uma mais frente de construção praticamente no centro da vila e tem todo o potencial para se transformar na principal entrada desta, desaguando no jardim que a Câmara quer fazer junto ao Centro Cultural.
Mas também terá as suas desvantagens, nomeadamente afastar ainda mais quem nos visita da praia fluvial do Taboão ou converter-se numa pista para aceleras, à semelhança do que acontece com o túnel e a avenida Cónego Chouzal.
Se me disserem que existe financiamento para tal obra, acredito. Mas também lhes digo que seria preferível não gastar a pequena parte que caberá à câmara naquela obra e canalizá-la para outras coisas. Para a sinalização turística, por exemplo.

6 comentários:

  1. EB esqueceste-te doutra vantagem, é que assim o pessoal do festival fica com mais espaço para utilizar. Fecham a estrada antiga e é tudo deles.

    ResponderEliminar
  2. Andas no campo e não vês as couves pá. Então não tens visto mais sinalização?

    ResponderEliminar
  3. EB ainda bem que não és engenheiro, porque com esse teu traço para a coisa, isto ia tudo abaixo!

    ResponderEliminar
  4. Este pessoal do festival domina esta merda toda. Eles só fazem disparates introduziram a droga no concelho, estragam o relvado da praia, não deixam os vizinhos dormir, a Câmara paga-lhes o festival. E depois ainda há pessoas que pensam que o festival é muito importante. Ó Eduardo porque proteges esses merdosos que trouxeram tanta desgraça para coura. Razão tem o maluquinho de resende que, no seu jornal, passa a vida a chamar-lhes ladrões.

    ResponderEliminar
  5. não é por nada mas andam um pouco enganados é que a porcaria da droga não veio com o festival, ela(droga) JÁ EXISTIA EM COURA só não via quem não queria, nem toda a gente que vai ao festival consome drogas, ou será que não se pode ir apenas pelo prazer da música, tem de ser obrigatóriamente para consumir drogas?

    ResponderEliminar
  6. Já em 1979 no primeiro "Festival de música rock" fumei alguns charros.

    ResponderEliminar

Agora que leu, pode deixar aqui o seu comentário. Já agora, com moderação e boa educação! O Mais pelo Minho reserva-se o direito de não publicar comentários insultuosos. Quaisquer comentários inadequados deverão ser reportados para o email do blogue. Muito obrigado!